2as Maiores – à conversa com Ricardo Antão

#2asMaiores com Ricardo Antão

Estudem, aprendam e divirtam-se nesta bela viagem.

Yamaha: Como foi o teu primeiro contacto com a música?
Ricardo Antão: O meu primeiro contacto foi semelhante ao de tantos outros músicos portugueses: na banda filarmónica, neste caso na Banda Visconde de Salreu.

Yamaha: Quais são as tuas maiores influências na música?
Ricardo Antão: Penso que daria uma lista bastante extensa, pois continuo a descobrir música e músicos que me inspiram. Mas penso que tenho que sublinhar três pessoas que marcaram o meu percurso e a minha forma de estar na música (e não só): o meu irmão Gabriel, que sempre foi um exemplo a seguir e o principal "culpado" por ter ido para a banda, para o Conservatório e por aí adiante, e que sempre inspirou pelo empenho, otimismo e paixão pela música; o Sérgio Carolino, que além de um professor foi sempre um amigo e um companheiro de aventuras, com o qual aprendi muitíssimo e com quem tenho o prazer de partilhar o palco; e o Thomas Rüedi, que é uma referência e com quem tive a oportunidade de trabalhar e estudar..

Yamaha: Que importância tem a música na tua vida?
Ricardo Antão: É indispensável.

Yamaha: Fala-nos um pouco dos teus projetos atuais?
Ricardo Antão: Além do meu trabalho como professor na ESMAE, na Universidade de Aveiro e no Conservatório de Música da Jobra, tenho um duo com o clarinetista Frederic Cardoso, com o qual tocamos novo repertório acústico e com eletrónica; ando a explorar a música com eletrónica escrita para o meu instrumento; tenho estreado algumas obras de compositores portugueses e toco na Banda da Associação Recreativa e Musical Amigos da Branca, a qual tem desenvolvido um fantástico trabalho que tem sido reconhecido nacional e internacionalmente.

Yamaha: Podes falar-nos um pouco sobre o material que estás a usar e porque escolheste Yamaha?
Ricardo Antão: Toco com o YEP842S, pois é um instrumento extremamente versátil e que me permite obter os resultados que quero com facilidade. É um companheiro de aventuras nas mais diversas formações, e que nunca me deixou mal.

Yamaha: Alguma mensagem final os jovens músicos?
Ricardo Antão: Estudem, aprendam e divirtam-se nesta bela viagem. E não se sintam desiludidos se parece que não conseguem resultados imediatos. É com muito trabalho e perseverança que se atingem os resultados.

Ricardo Antão utiliza:

  • Bombardino Yamaha YEP-842S
  • Silent Brass para Bombardino Yamaha SB-2X

#2asMaiores

Siga-nos nas nossas redes sociais: