2as Maiores – à conversa com Iúri Oliveira

#2asMaiores com Iúri Oliveira

Autêntico, apaixonado e eclético, Iúri Oliveira é um percussionista profissional que flui entre estilos desde a World Music, ao Latin Jazz, Fusão e Fado, entre outros. Para ele a música é um encontro de culturas, uma expressão caleidoscópica de um ritmo tão diverso como a própria vida.

Yamaha: Como foi o teu primeiro contacto com a música?
Iúri Oliveira: O meu contacto foi desde muito cedo com influências da minha família de Angola, mas na verdade ninguém na minha família é / era músico, fui eu o primeiro a mergulhar, inicialmente como hobbie, e depois profissionalmente, nesta aventura. Comecei como percussionista numa orquestra de Jazz, com formação na própria orquestra e depois viajei para Londres e Holanda para dois conservatórios especializados em Percussão, onde realmente incidi na vertente de Jazz, Percussão Latina e Afro Cubana, Brasileira e Fusão.

Yamaha: Quais são as tuas maiores influências na música?
Iúri Oliveira: Em tudo o que ouço consigo ir buscar qualquer coisa para o meu trabalho do dia-a-dia. Tenho artistas que amo muito ouvir e vou buscar muita inspiração a eles. Algumas referências para mim são Richard Bona, Sara Tavares, Aline Frazão, Avishai Cohen, Pat Metheny, Coladera, entre outros. Ao nível de instrumentistas da minha área, Ze Luis Nascimento, Paoli Meijas, Giovanni Hidalgo, Yaroldi Abreu, Itamar Doari, Yshai Afterman, Pedrito Martinez, são onde / quem eu bebo diariamente dos seus trabalhos.

Yamaha: Que importância tem a música na tua vida?
Iúri Oliveiras: Para além de ser o meu trabalho, sinto que é o único sítio onde ninguém me julga ou onde sou 100% a minha pessoa, espírito e alma. Quando toco procuro ser um canal de algo superior a nós e ao que nos rodeia. Procuro ser transparente e dar à música o que ela necessita. Inspirar e ser inspirado.

Yamaha: Fala-nos um pouco dos teus projetos atuais?
Iúri Oliveira: Para além de sideman / independente , tenho vários trabalhos em estúdio para vários artistas a decorrer, que procuram novas sonoridades e abordagens que para mim são sempre missões super desafiantes e que me elevam. Quanto a bandas minhas, graças a Deus, todas onde eu trabalho são fantásticas. Destaco CRIATURA, que é um projeto que mudou bastante o rumo da minha vida enquanto músico e enquanto pessoa. THEY MUST BE CRAZY, a minha frenética banda de Afrobeat, destacada já a nível mundial por várias entidades e artistas de renome. LOOSENSE, um projeto que abracei o ano passado a convite da banda, Jazz Fusão, que me dá uma grande liberdade de improviso e muita "pica" de estar em palco com aqueles músicos "fora de série", por último e não menos importante o meu trio BOSSA & MORNA onde basicamente a música é tão intuitiva para nós como a nossa amizade e sintonia no palco.

Yamaha: Podes falar-nos um pouco sobre o material que estás a usar e porque escolheste e Yamaha?
Iúri Oliveira: O material que estou a usar, é sem dúvida material de guerra. Sou uma pessoa super metódica e organizada e gosto de ter as coisas sempre prontas e sempre com a "revisão" feita, pois fazem parte do meu trabalho e não posso ter falhas nem preocupações quando ando na estrada. A PROTECTION RACKET é sem dúvida o melhor amigo dos meus instrumentos. Nem sempre temos Roaddies, e quando temos às vezes não levam as coisas como queremos e/ou acidentes acontecem na estrada. Desde que tive contacto com a Protection Racket, não tenho qualquer registo de danos nos sacos, o que me levou a pensar em renovar todo o stock de sacos do meu material para esta marca, pois assim estou super descansado e é material para a vida.

Yamaha: Alguma mensagem final os jovens músicos?
Iúri Oliveira: Sejam genuínos e sejam sempre lendários. Deixem sempre uma pegada única, uma sonoridade única, e não se limitem a copiar os outros. Respeitem e sirvam a música, com a leveza necessária a esta mesmo ser suave no Mundo.

Iúri Oliveira utiliza:

  • Hardware Yamaha
  • Sacos e Estojos Protection Racket

Siga-nos nas nossas redes sociais: