2as Maiores – à conversa com Tarot Baião

2as Maiores – à conversa com Tarot Baia

Keep it real, keep it simple, be your self, practice, believe…and go get it!!!

Yamaha: Como foi o teu primeiro contacto com a música?
Tarot Baião: Foi através do meu pai que também era músico / compositor / multi-instrumentalista.

Yamaha: Quais são as tuas maiores influências na música?
Tarot Baião: O meu pai e variadíssimos músicos e bandas dos mais variados estilos, como por exemplo os Extreme, Cameo, Chaka Khan, Sting, Toto, Andy Timmons, Miles Davis, George Benson, Dan Huff, Nuno Bettencourt, Steve Vai, Keith Urban, Prince, Jamiroquai, Dave Mathews Band, Maxwell, Tower of Power, John Mayer, Tommy Emmanuel, Mike Stern, Al Di Meola, etc… podia continuar, isto só para mencionar uma minoria. Em toda a minha vida houve períodos em que andei a consumir avidamente um destes artistas, no tempo em que se ouviam álbuns…mais recentemente tenho ouvido/visto Mark Lettieri, Guthrie Govan, Funky Knuckles, Polyphia… não sou de ficar agarrado ao passado.

Yamaha: Que importância tem a música na tua vida?
Tarot Baião: Muita!…nem consigo conceber nada sem música. Acho que na maior parte de tudo o que faço ou esteja a viver, está sempre uma banda sonora mental a acontecer. Penso que é isso que se chama inspiração…

Yamaha: Fala-nos um pouco dos teus projetos atuais?
Tarot Baião: O Toy está com uma agenda super cheia e não tem sobrado espaço para muito mais… É um gig muito interessante e dá-me gozo fazer, passamos por vários estilos musicais, o que é difícil de encontrar num artista hoje em dia e a banda é top. Não me posso queixar, muito pelo contrario. Depois também tenho estado a gravar uns temas acústicos para uma cantora de Fado/World music que é a Zana, com o Marco Quelhas a produzir, inclusive um tema do Tó Zé Brito. É um projeto diferente do que eu estou habituado a fazer, está a dar-me um enorme prazer. Penso que vai sair dali um disco brutal. Quanto aos Squeeze Theeze Pleeze, com muita pena minha, neste momento estão parados… mas não deixa de ser uma banda de originais que preenche um espaço diferente dos outros projetos, um espaço rock/pop, que me dá muita pica!

Yamaha: Podes falar-nos um pouco sobre o material que estás a usar e porque escolheste Yamaha?
Tarot Baião: O material que uso mais é sem duvida a Variax e a Helix, acima de tudo porque são a parelha que se enquadra mais com a minha maneira de tocar/trabalhar e soam muito bem, são o que eu chamo de “pau para toda a obra”, venha o que vier, tenho sempre as costas quentes em qualquer situação. Seja estúdio, live, eléctrico, acústico, etc… quando é necessário acrescento umas L2, L3 ou então os DTs. Quando toco wireless, entra na equação o Relay G50. Depois tenho a opção do P.A. Stage Source com uma mesa Yamaha MG que uso para tudo, desde ensaios a pequenos eventos/concertos, etc…é um som super equilibrado e fácil de trabalhar, é só ligar a fonte(seja guitarra, baixo, teclas, bateria, voz, etc…) à mesa, levantar o fader e voilá!…já está a soar bem, não é preciso muito. Super limpo e hifi. No meu home studio optei por aquilo que acredito serem os melhores monitores relação preço/qualidade que existem no mercado, a série HS da Yamaha, no meu caso são uns HS7.

Yamaha: Alguma mensagem final os jovens músicos?
Tarot Baião: Keep it real, keep it simple, be your self, practice, believe…and go get it!!!

Tarot Baião utiliza:

  • Guitarra Line 6 James Tyler Variax
  • Guitarra Line 6 Variax Standard
  • Combo Line 6 DT50
  • Combo Line 6 DT25
  • Multi Efeitos Line 6 Helix
  • Sistema sem fios Line 6 Relay G50
  • Coluna Amplificada Line 6 StageSource L2t
  • Coluna Amplificada Line 6 StageSource L3m
  • Coluna Amplificada Line 6 StageSource L3s
  • Mesa de Mistura Yamaha MG12XU
  • Monitores de estúdio Yamaha HS7

#2asMaiores

Siga-nos nas nossas redes sociais: